EPISÓDIO 11 - SOLTEM OS CÃES!

13/06/2012 22:23

Soltem os Cães!

Por Julian VK

 

 

        Aria já está me dando nos nervos. Ela consegue ser irritante com sua voz estridente e suas gaguejadas ao ponto de me dar vontade de atravessar meu notebook com meu punho direito. Mas como preciso dele para fazer todas as minhas atividades digitais, terei de aguentar.

        Mas falemos sobre o fato de que Mars tem seus momentos de esperteza. Quando o cavaleiro de Leão se propõe a perseguir Athena (leia-se, Aria) o novo Grande Mestre recusa a proposta e manda ele ficar em Babel. Provavelmente Mars deve ter visto a velocidade com que Mycene (ou Micene, ficam mudando os malditos nomes nas traduções) perseguia os cavaleiros de bronze.

        No lugar de Mars eu também mandaria aquele leão manco ficar em casa...

        Para aquecer os corações alheios, colocaram uma cena com um belo cachorrinho (que eu secretamente esperava que fosse virar Cérbero e devorar a maldita Aria). Por ter ficado a vida toda trancafiada, tudo é novidade para aquela peste. Como você consegue gostar de uma criatura dessas, Yuna?

        Contudo, a melhor cena deste episódio definitivamente foi a lição de Yuna sobre como comer um pão. Ela realmente tem talento para ensinar esse tipo de atividade, devo admitir. O que será que ela vai ensinar Aria a colocar na boca amanhã?

        Deixando comentários cínicos de lado, a impressão que tenho é de que a falta de habilidade com o roteiro dos autores de Saint Seiya Omega está cada vez pior. Ou talvez já fosse horrível de início, porque é difícil não imaginar que eles estão copiando a série clássica. A Saint Fight pode ser comparada com a Guerra Galáctica e agora os protagonistas são obrigados a enfrentar os cavaleiros de prata. Sem contar que o líder do Santuário é maligno e é aparentado com a figura mitológica Ares (Marte/Mars para os romanos).

        Lamentavelmente não houve uma transição como a batalha contra os cavaleiros negros (que em partes justificou o fato de que os cavaleiros de bronze puderam combater os de prata). Contudo, a vitória sobre o Corvo foi mais ou menos aceitável, então ainda é cedo para questionar.

        Junto com os prateados está Sonia, a filha de Mars. Eu não tinha exatamente uma opinião formada sobre ela, mas quando a ouvi dizendo que faria Yuna responder com seu corpo eu a rotulei como “lésbica”. Ainda assim, eu não sou preconceituoso e a marciana mostrou ser uma personagem promissora, ela que faça o que bem entender.

        Basta olhar a surra que Yuna leva para compreender que Sonia é foda. Contudo, a forma que encontraram para tirá-la de cena foi muito, MUITO estúpida. Do nada surge um soldado raso e diz que Mars a está chamado de volta para o Santuário porque ele quer fazer a porra de um discurso para os cavaleiros. Sendo que foi o próprio Mars que, no dia anterior, ordenou à marciana que perseguisse Aria.

        Mars... ONDE FOI PARAR TODA AQUELA SUA INTELIGÊNCIA? Ah, desculpe, você tem razão. A culpa não é sua e sim dos roteiristas usuários de crack.

        A luta contra o cavaleiro de Corvo foi mais compreensível que outras que vimos em Saint Seiya, já que ele foi derrotado pelo esforço conjunto de três cavaleiros de bronze e não apenas um. Poderia ter sido bem melhor se não ficassem apenas atirando poderes especiais o tempo todo, mas os pontos realmente negativos ou idiotas são:

 

  1. Souma fica admirado com o poder de um cavaleiro de prata, mesmo tendo enfrentado (e por enfrentado entenda levado uma surra de) um cavaleiro de ouro no dia anterior. Ele tinha mais é que chamar o Corvo de frangote.
  2. Pra variar, quem salvou o dia foi Kouga. Pode ser apenas algo pessoal, mas para mim o que tirou a graça dessa luta foi a intervenção do Pégaso. TINHA que ser o protagonista!
  3. Yuna derrotou o inimigo com apenas um golpe, mesmo ele possuindo uma armadura de prata. Lembrando que no clássico a armadura de Lagarto aguentou o poder de um Cometa de Pégaso.
  4. A falha na defesa do Corvo não foi explicada. Se até o Kurumada se deu ao trabalho de explicar quais eram as falhas nas táticas dos cavaleiros, por que os autores de SSΩ não podem fazer o mesmo?


        No fim das contas foi mais uma luta promissora que terminou de uma forma nada emocionante.

        Por último, quero comentar a respeito do pronunciamento de Mars. Ele chamou Sonia de volta só para dizer que Athena foi sequestrada e que todos os cavaleiros devem buscá-la, assim como eliminar os cinco rebeldes? E ainda por cima comenta sobre a destruição das doze casas na mesma frase? Como assim, você quer colocar a culpa disso nas costas de cinco cavaleiros de BRONZE??? Porque é isso que está parecendo.

        Francamente, Mars! Será que seu cérebro só funciona por alguns minutos depois de levar uma cacetada do Seiya e depois entre num estado inerte?

        Você merece ser derrotado da forma mais humilhante possível para aprender a deixar de ser tão burro.

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!