EPISÓDIO 4 - O NOVATO, O GÊNIO E O FRACASSADO

03/06/2012 23:05

O Novato, o Gênio e o Fracassado

Por Julian VK

 

 

        A primeira cena desse episódio mostra dois dos personagens que inspiraram o título: Kouga e Ryuho. Para variar é outra cena difícil de engolir, afinal de contas o Pégaso estava determinado a ir ao Santuário para encontrar Athena, mas muda de ideia e permanece em Palaestra apenas porque um completo estranho disse a ele que deveria ficar.

        Kouga não estava desesperado para encontrar Saori? Bom parece que não a ponto de deixar de dar ouvidos a outra pessoa apenas porque ela é capaz de fazer truques legais com a água...

        Agora, o que me doeu mesmo no rim foi saber que Ichi de Hidra é um fracassado a ponto de ter de estudar junto com os alunos de Palaestra. Claro que ele nunca foi de grande importância, mas depois de tantos anos era de se esperar que ele tivesse desenvolvido seu cosmo. Depois dessa não ficarei surpreso se disseram que Ban deixou de ser cavaleiro e virou gari.

        Vamos pular a parte da apresentação do Ryuho como filho do Shiryu e seguir direto para a aula em que os cavaleiros de bronze tentam destruir paralelepípedos gigantes. Eu gostaria de saber qual o motivo de solicitarem que eles vestissem somente um braço da armadura. Desde quando isso é necessário para que um cavaleiro use seus poderes?

        Cada vez mais eu tenho a impressão de que a equipe de SSΩ simplesmente inclui detalhes que eles acham legais sem realmente pensar se é necessário. Ou mesmo se faz sentido.

        Para fins da análise a explicação sobre fraquezas e superioridades elementais também é ignorável, já era de se esperar isso a partir do momento que inventaram que o cosmo tem elementos. Porém, não posso ignorar algumas coisas que Ichi disse a Kouga.

        Primeiro ele falou que “as armaduras se uniram ao poder do universo” e que por causa disso viraram pingentes bonitinhos. Mas que merda de explicação é essa? Eu digo o que isso é: uma desculpa esfarrapada. Está na cara que chegou aos ouvidos da equipe de SSΩ a insatisfação em saber que não existiam mais as urnas, mas ao invés de pensar em algo que realmente tornasse compreensível essa mudança, eles esperam que aceitemos a justificativa barata de Ichi.

        Em seguida ele fala que por conta disso surgiram os elementos do cosmo. Ou seja, os autores também não estão com vontade de pensar numa explicação plausível para essa história de cosmo com elementos e nos oferecem a seguinte justificativa: as armaduras e o cosmo mudaram e ponto final. Como são desleixados...

        Mas as barbaridades não terminam por aí! Ichi ainda fala que na época atual não adianta nada ter uma armadura se você não é capaz de controlar um elemento. Mas que palhaçada! Minos de Griffon mataria todos os panacas manipuladores de elemento daquela academia quebrando seus ossos com uma mão e bocejando com a outra. Saga mandaria todos eles para outra dimensão ou os obrigaria a matar uns aos outros com o Satã Imperial. Até mesmo o Niobe acabaria com todos ali com sua Flatulência Profunda.

        Claro que estou exagerando, mas é mais do que óbvio que essa história de que cavaleiros precisam de um elemento para lutar passa do ponto do ridículo. Tem que ser muito retardado para aceitar o que estão tentando nos fazer engolir.

        Mas vamos falar de coisas bonitas agora, que tal? A amizade, por exemplo. Ryuho resolve fazer como seu pai Shiryu e ser amiguinho do cavaleiro de Pégaso. Não é de admirar a preocupação que ele tem com Kouga e o quanto o encoraja a conseguir desenvolver seu elemento da luz? Claro que quando chega um professor o Dragão subitamente se transforma num filho da puta que quer se safar. Nah, todo mundo já sabia que ele estava só fingindo.

        Ryuho também revela que seu pai perdeu todos os cinco sentidos em uma batalha. Por acaso o Shiryu levou uma surra do novo cavaleiro de Virgem? Bem, pelo menos agora temos um substituto para o Mestre Ancião...

        Mas será que só eu achei estranho ver os cavaleiros de bronze perdendo e recuperando seus sentidos o tempo todo na saga clássica e descobrir que Shiryu virou um vegetal em SSΩ?

        E como já virou tradição neste anime, na segunda metade do episódio rola uma luta e desta vez é Kouga contra Ryuho. Não vejo muito que comentar nesta batalha, uma vez que ela segue os padrões já estabelecidos em SSΩ. Até mesmo o fato de Pégaso apanhar na maior parte da luta tem sua justificativa, já que ele ainda não sabe usar direito o cosmo.

        Além disso, pelo menos desta vez tiveram a inteligência de dizer apenas que o escudo do dragão é o mais resistente dentre as armaduras de bronze ao invés de continuar com aquela história de indestrutível. Quem diria, os autores também conseguem usar os neurônios de vez em quando.

        E eu já estava me perguntando se por acaso o Ryuho não utilizaria a Cólera do Dragão. Porém, que história é essa de só poder usar uma vez porque consome muita energia? Caramba, esse era o golpe mais básico de Shiryu e agora querem dizer que o filho dele só pode usar uma vez por luta porque gasta muita energia? Eu sabia que essa batalha estava boa demais para ser verdade... TINHAM que inventar uma forma de estragá-la.

        Contudo, devo admitir que o resultado final foi surpreendente. Mesmo aqueles que torciam pela vitória de Ryuho certamente estavam desconfiados de que o vencedor seria Kouga. Talvez isso seja uma evidência de que, apesar de todos os seus pecados, SSΩ ao menos não cai na armadilha do protagonismo. Talvez.

        Ao final, Yuna diz que Ryuho desafiou Kouga de propósito para que ele despertasse seu elemento, mas será mesmo verdade? Eu sinceramente acho que o jovem Dragão queria mesmo era chutar a bunda do Pégaso para limpar a honra do seu pai. Opinião pessoal aqui.

        Agora é aguardar pela Saint Fight.

        Minha conclusão deste episódio: Estão tentando fazer lavagem cerebral nos fãs de Saint Seiya...

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!