Análise Dourada Ω - Pt. 5: Micenas de Leão

20/12/2015 20:24

Análise Dourada Ω - Parte 5: Micenas de Leão
Por Boneco de Neve      

 

O bicho vai pegar agora, cambada, porque agora é a vez dele, o grande bichano da cara quadrada, Micenas de Leão, o Cavaleiro de Ouro mais honrado e orgulhoso!

 

Micenas de Leão

 

Micenas é com certeza um personagem que chama bastante atenção em Ômega, o que não é novidade, já que os cavaleiros de leão quase sempre se destacam de algum jeito em CDZ. O irônico é que isso ocorre mesmo o próprio não sendo um personagem excêntrico como Harbinger, Paradox ou Schiller, sendo ele um personagem sério e não dado a extravagâncias. Digo isso por causa da sua construção, que é bem interessante. A começar pelo nome, Micenas era o nome de uma cidadela grega que foi um dos maiores centros da civilização e de poderio militar da Grécia, chegando a dominar grande parte do sul do país durante cerca de meio milênio. Hoje, é um sítio arqueológico. Curiosamente, a construção mais conhecida de Micenas é o Portal do Leão. Legal, não?

 

Portal dos Leões

 

Além disso, Micenas possui alguns detalhes em comum com seus antecessores, como, por exemplo, a sua imponência e seu grande senso de responsabilidade. Considerando esse senso, Micenas sempre foi muito devoto naquilo que ele acreditava. Ele era amigo de Ludwig, possivelmente desde antes de este se tornar Marte, e acreditava piamente nele e em seus ideais de um mundo novo e pacífico, onde os fortes dominariam os fracos e por aí vai. Ludwig também confiava muito em Micenas e, por isso, encarregou ao futuro cavaleiro de Leão uma missão muito importante, mais do que entrar no campo de batalha, como Micenas estava antes disposto a fazer: Basicamente, ser o protetor do novo mundo ao lado dos filhos de Marte, os quais seriam postos pelo pai como reis desse novo mundo. Admirado com a confiança depositada em si por seu amigo, Micenas prontamente aceitou.

 

Jovem Micenas

O X não tava aí ainda, mas a cara dele ficou desse jeito mesmo por quase uma década!

 

Pouco tempo depois, quase no fim da primeira batalha contra Atena e seus cavaleiros, Marte se apoderou de uma menininha, ainda bebê, que foi banhada com o cosmo da própria Atena depois da queda daquele "meteoro" estranho invocado lá do raio-que-o-parta pela Olivia Palito Medea. O "cabeça de fósforo aceso" teve a ideia de usar essa menininha, chamada Aria, para ser a "Nova Atena" e assim conquistar os cavaleiros para se juntar à sua causa. E para evitar qualquer problema, Marte, depois de haver dominado o Santuário, designou alguns cavaleiros de ouro para protegê-la enquanto ela estivesse na terra. E adivinha quem era um deles? Sim, Micenas. Ele havia recebido de Marte a Armadura de Leão e, em Ômega, foi visto pela primeira vez tentando cumprir esse papel na ocasião da tentativa de Kouga de Pônei Maldito Pégaso e Yuna de Piu-Piu Águia de resgatar Aria da Torre de Babel. Depois de praticamente deixarem os três escaparem (sim, porque, sendo um sujeito capaz de se mover na velocidade da luz, ir atrás deles ANDANDO... Na boa...), ele se deparou com Kouga novamente, além de Souma de Simba Leão Menor, Ryuho de Calanguinho Dragão e Haruto de Lassie Ninja Lobo. Aí sim, ele mostrou um serviço competente: Botou os três últimos no chão rapidinho e só não pegou Kouga porque o próprio Marte quis lidar com ele, apenas pra ter Seiya no seu caminho mais uma vez.

No decorrer da série, descobre-se que Micenas se encarregou de cumprir outra tarefa: Treinar Éden, o cavaleiro de Piteco Órion. E não era de hoje; ele fazia isso desde que Éden era pequeno. O resultado do treinamento foi de fato bem produtivo; Éden passava por cima de outros cavaleiros de bronze com muita facilidade, geralmente derrotando-os com um único ataque. Mas a ligação de Micenas com Éden não ficou só no ensino da arte de dar porrada. Micenas se apegou a Éden, quase como um pai, tanto que, por várias vezes, se preocupava com ele e com o caminho que ele devia seguir. Isso ficou bem claro no episódio 35, onde o cavaleiro de bronze continuava bugado com a morte da Aria. Ele impediu que Sonia continuasse dando uma surra nele (com a testa - aliás, isso abre especulação sobre como ele coseguiu aquela cicatriz em forma de X na testa. Pelo jeito, ele tinha o hábito de dar a testa pro Éden bater; hábito que seu próprio pupilo acabou herdando também) e, depois, ele tentou colocar a força de Éden à prova na esperança de que isso removesse as suas incertezas, o que no fim das contas não resolveu. Após isso, ele foi relatar à mãe dele, Medea, acerca da situação do garoto, apenas para vê-la babando pelo poder das trevas que Kouga carregava em si. E isso deixou Micenas encucado.

 

X sangrando

Samurai X: Você está fazendo isso errado. Não, pera...

 

Mas Micenas não teve muito tempo pra ficar incomodado com Medea, porque ele tinha que receber alguns conhecidos visitantes na Casa de Leão: Souma e Haruto. Outra vez, Micenas deu um baile nos coitados. Mas, dessa vez, os "bronze boys" estavam mais persistentes; por isso, Micenas tratou de colocar suas garras de fora e mostrar seu arsenal, que, convenhamos, é maneiro. Primeiro, o Rugido Real, uma técnica muito bem elaborada que é composta de duas partes; a primeira consiste em envolver o oponente em um cilindro feito de cosmo; o segundo, em mandar uma rajada de cosmo relampejante, com a forma da cara de um leão, de cima pra baixo no interior desse cilindro. Na boa, olha que legal: Essa rajada produz um som bem similar ao rugido de um leão e, disparada dentro daquele cilindro, o som que ela produz é amplificado, oferecendo assim um alto risco de estourar os tímpanos do oponente. Isso já é ruim. Agora, imagine você com uma seringa sem agulha na mão. Tampe o buraco de saída com o dedo e pressione o êmbolo. Difícil fazê-lo chegar até o fim, né? Tem que fazer uma enorme pressão, certo? Pois é. O Rugido Real funciona praticamente assim, só que a pressão que ele exerce é, imagino eu, centenas de vezes maior. E como se não bastasse o som e a pressão, a própria rajada já deve ser poderosa o bastante pra arrebentar quem estivesse em seu caminho. De fato, é uma técnica fenomenal, ainda que Souma e Haruto tenha aguentado-a várias vezes e, no fim, conseguirem desfazê-la. Mas isso não incomodou Micenas, pois ele tinha um último golpe a dar, um mais simples porém mais tenebroso que o anterior: O Emblema Real, que é literalmente um gigantesco paredão de cosmo energia que se expande e arrebenta com tudo o que estiver ao alcance. Só que Haruto conseguiu segurar o ataque, ainda que por pouco não tenha sido destruído.

Durante esse combate, porém, uma coisa incomodou Micenas: A perseverança dos dois. O fato daqueles dois aguentarem todos aqueles ataques poderosos e continuarem a lutar, dependendo um do outro, obviamente não passou despercebido pelo dourado e era algo que ele admirava muito. Afinal, ele sabia muito bem como é isso; ele estava ali também lutando por um bom amigo. E a amizade e a perseverância de Souma e Haruto foram um dos dois fatores cruciais que ajudaram a definir a batalha. O outro foi a resolução de Éden. Enquanto aquela luta ocorria, Éden estava tentando colocar suas ideias em ordem. E, praticamente no fim da luta, Éden finalmente decidiu se rebelar contra o pai por causa dos métodos que ele estava usando para criar o novo mundo. Isso tirou a concentração de Micenas por um momento, o que permitiu a Souma causar uma rachadura na ombreira da armadura dele. Micenas, porém, ficou muito feliz. Mesmo sabendo que Éden iria se rebelar contra o próprio pai, o cavaleiro de leão compreendeu perfeitamente o motivo. E assim, considerando esses dois fatores, decidiu jogar a toalha e deixar os dois passarem. O próprio Micenas, inspirado pela determinação do seu pupilo e dos seus dois adversários, resolveu ele mesmo também tomar uma medida drástica: Quebrar a vareta Medea.

Chegando aos aposentos da feiticeira magricela, ele a encontrou lá e se prontificou a acabar com ela. Isso porque ela foi responsável pela mudança drástica dos planos de Marte: Ao invés de reformar o planeta Terra, Marte, induzido da mulher, invocou o planeta que guardava para terraformá-lo às custas do cosmo da terra e, consequentemente, de todas as vidas lá. Pro azar do leonino, Medea não estava sozinha. O irmão dela, Amor (olha o nome da figura), estava lá. Pior, ele era o cavaleiro de Peixes, de quem ninguém ouviu falar até então. Ele se pôs a defender a irmã (que apesar de parecer calma na hora, depois foi mostrado que ela quase se borrou de medo) e Micenas decidiu lutar com ele, alertando-o sobre a famosa guerra de mil dias, onde dois cavaleiros de ouro se enfrentam até um impasse ou na morte de ambos, mas que nunca resultou em nada disso em nenhuma série de CDZ. E em Omega não foi diferente, embora o resultado tenha sido no mínimo incômodo: Micenas foi fulminado em menos de 5 segundos, apenas com um "olhar mortal" (ou seja lá o que aquele linguado dourado fez). Agora, por que o resultado dessa luta foi incômodo? Claro que não. Até porque, como diz o ditado, o Amor supera todas as barreiras.

 

Micenas morrendo

Não, ele não viu o Beiçola pelado.

 

Er... Ahem... Brincadeiras à parte, o problema não é Amor ser mais forte que Micenas. Não é novidade alguma em CDZ que exista um cavaleiro de ouro que exceda outro em níveis de poder. O problema é que, considerando como Amor se saiu na briga contra os cavaleiros de bronze (na qual, sem contar o fato de ter enrolado horrores, fez um vão esforço pra tentar eliminar Kouga e Éden no planeta Marte), Micenas morreu rápido demais. Diante do que Micenas mostrou em Ômega, ele tinha potencial de pelo menos manter uma briga mais acirrada com Amor. Diante disso, a conclusão óbvia dessa história é que Micenas foi mais uma pobre vítima do roteirismo, coisa que infelizmente acontece bastante nas séries de CDZ. Bem, se serve de consolo, Amor também pagou na mesma moeda, mas isso é discussão para a análise dele.

De qualquer forma, Micenas deixou um "gostinho de quero mais" (no bom sentido). Considerando sua construção, ele ainda podia dar muito barbante pro tapete... Digo, muito pano pra manga. Se ele tivesse sobrevivido na saga de Marte, eu digo com certeza quase absoluta que ele teria mitado legal na saga de Pallas. Micenas pode não ter sido um dos mais fortes cavaleiros de ouro, mas deixou a sua marca, não com um Emblema Real, mas com um grande legado, que foi herdado magnificamente pelo Éden, que lutou incansavelmente pelo o que acreditava, justamente como seu mestre queria, e superou todos os seus limites, chegando a despertar o cosmo final, o Ômega. Leão pode ser fraco, mas ainda é leão e merece respeito, assim como Micenas. Esse honrou as presas que carregou.

Obs.: Mais uma vez, desculpem a demora. Não vou dar justificativas dessa vez, porque não tenho boas justificativas para dar. Passei sim por uns momentos difíceis, mas isso não serve para justificar. Fora isso, mando pra vocês as artworks de Libra no Genbu e Marco Albiero, mostrando os esquemas da armadura de Leão em Omega e Micenas em traços do clássico. Obrigado pela paciência.

 

Leo Cloth LG

Leo Cloth MA

Mikene MA

 

Por Boneco de Neve, que prefere gatos a cachorros. Desde que não lancem rajadas de cosmo, claro...

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!