EPISÓDIO 37 - SHAKA 2.0

18/12/2012 23:46

Shaka 2.0

Por Julian VK

 

        Este episódio é bastante familiar para quem já viu a série clássica, em particular a batalha na casa de Virgem. E como eu nunca fui um grande fã do Shaka, não me interessei muito pelo que ocorreu. Bem, comecemos falando sobre as similaridades entre o novo e o velho virginiano. Em primeiro lugar, o lugar onde vivem. Assim como Shaka, Fudou também gosta de praticar jardinagem. Mas isto é apenas o começo.

 

        Outro detalhe que notamos logo de cara é o quanto os outros cavaleiros gostam de elogiar os virginianos. Kiki fez questão de colocá-lo num pedestal enquanto falava sobre Fudou, o que me faz recordar de todos aqueles que diziam que Shaka era o ser mais próximo de Deus. Bom, sorte de quem é do signo de Virgem, pois ao menos podem se vangloriar do fato de que até mesmo um cavaleiro de ouro reconhece a força do “guardião imóvel”.

 

        Enfim, um detalhe que eu realmente achei ridículo nesta cena (tirando o fato do Kiki sem um tremendo paga-pau), foi notar que os soldados de Mars permaneceram completamente parados o TEMPO TODO durante o diálogo entre Áries e Touro. Sendo que Kiki ainda tem a infelicidade de comentar que, mesmo após tanto serem derrotados, os marcianos não recuavam. Bem, aparentemente não avançavam também...

 

        Essa cena teria sido muito melhor se mostrasse Kiki e Harbinger efetivamente combatendo, ao invés de simplesmente batendo papo.

 

        Mas vamos voltar às semelhanças entre os Virgens. Fudou também possui a mania de usar visões de forma teatral. Claro, ele não abusa da figura de Buda, mas gosta de brincar com a mente dos outros da mesma forma que Shaka. Felizmente os autores resolveram evitar um repeteco completo, e então mostraram o novo virginiano como um cara que não faz questão de usar armadura. Neste ponto, pelo menos, ele é bem diferente.

 

        Porém, este é apenas um detalhe comparado com o que já vimos e ainda está por vir. Fudou logo faz questão de dizer que é reencarnação de... alguém. Sei lá quem ele foi numa vida anterior, mas aparentemente ele considera uma pessoa importante. Não lembra um certo virginiano que dizia ser a reencarnação de Buda?

 

(Ao menos Buda eu sei quem foi.)

 

        Por sinal, ele também tem a mania de manter os olhos fechados, mas parece que nesse caso ninguém morre quando ele os abre.

 

        Façamos outro intervalo agora para falar de mais um ponto ridículo do episódio: Haruto insistindo em lançar kunais contra um cavaleiro de ouro. Será que ele não aprendeu na luta anterior que esse tipo de truque barato não funciona? Nem ao menos serviu como uma boa oportunidade para mostrar o poder da barreira defensiva de Fudou, já que ele segurou coisa bem pior depois.

 

        E já que estamos falando em combate, vale ressaltar que Fudou também é variado nesse sentido, já que parece utilizar principalmente técnicas de fogo. Além disso, ele tem alguma tara por “bondage”, pois repetidas vezes usa a corda... ou seja lá o que aquela coisa é... que tem em mãos para prender os cavaleiros de bronze. É cada gosto estranho, viu...

 

        Enfim, guardei o melhor (ou pior) para o final. O que mais me desagradou no Fudou foi justamente o fato de que sua personalidade é praticamente um control + C. Assim como o Shaka, ele se acha a última bolachinha do pacote, exibindo uma prepotência sem precedentes, sem mencionar que se considera espiritualmente acima dos outros, inclusive usando metáforas religiosas o tempo todo.

 

        Que os cavaleiros de ouro do Omega são difíceis de aturar não é nenhuma novidade, mas certamente o Fudou merece o prêmio de mais insuportável até o momento. Contudo, tenho certeza de que os shaketes vão adorar este novo personagem, afinal de contas é só mudar umas coisinhas aqui e ali e terá o mesmo cavaleiro exibido, mau caráter e convencido do clássico.

 

        O mais engraçado é que Fudou comenta em tom de lamento que a arrogância humana não tem fim. Engraçado, se achar acima dos outros e no direito de julgá-los faz de você o que se não um arrogante, ô bonequinha?

 

        Enfim, apesar do seu poder avassalador, Fudou não consegue acabar com a determinação dos cavaleiros de bronze. Então ele decide que está na hora de lutar pra valer (que novidade) e abre seus olhos, veste a armadura de Virgem e muda o local da batalha da casa de Virgem para o jardim. Só então ele utiliza o que parece ser sua técnica mais poderosa – mas que também não é um suficiente pra eliminar a turma de bronze –.

 

        Pra garantir que eles morreriam de vez, Virgem decide aplicar mais um golpe, mas este acaba sendo anulado pelo recém-chegado Eden. Diga-se de passagem, algo que TODO fã do clássico já imaginava que aconteceria. Ao invés de surpreender os fãs com algo inesperado, optaram por imitar o clássico e colocar Orion lá para bancar o Ikki.

 

        E falando nele, parece que está um pouco diferente...

 

Que merda você fez com seu cabelo, Eden?

 

        Enfim, o episódio em si não chega a ser ruim, com exceção de alguns detalhes toscos que mencionei. O grande problema aqui é o foco das atenções, Fudou. Não fosse pelo seu poder, que Kiki fez questão de enaltecer, eu não vejo nenhuma característica que o torne cativante. Sua personalidade é extremamente desagradável, seu background hindu já é totalmente clichê em Saint Seiya e o maldito ainda faz caretas sinistras quando luta para valer. Parece até que foi possuído pelo diabo.

 

        Se bem que Hades diz que é inocente dessa vez. Acho que devemos acreditar na palavra dele.

 

        No mais espero que Eden acabe logo com a raça desse mané. Se rolar uma cena dele implorando por misericórdia, assim como fez Shaka, ficarei muito satisfeito.

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!