IN PRINCIPIUM ERAT RODUM

29/04/2015 23:31

In Principium erat Rodum

Por Caetano Grego

 

        No princípio era o rodo, e o rodo estava com o báculo, e o rodo era, segundo os rumores, o báculo. Todos os que leram o Homem do Rodo sabem que a Saga do Rodo, conforme foi mostrada na história, apontava a origem do mesmo para as guerras secretas canvetes. Tretas. É fato conhecido para os que conhecem o QC desde sua gênese que este nasceu em meio à treta. Treta esta que se deu início, no começo de tudo, com o tópico profético do Leião, escrito por ninguém menos que Leonardo de Gêmeos. Na época ele foi taxado de louco, instigador de massas, reaça, opressor e homofóbico (mas heim?), ou simplesmente ‘hater’.  Mas o que isso tem a ver com a saga do Rodo exatamente? A princípio, para os desatentos, nada. Mas, para aqueles que perscrutam as verdades dos textos antigos, tudo. E é o que veremos a seguir, depois de uma retrospectiva histórica necessária.

        Há aqueles que creem que a coisa começou quando este que vos escreve, Caetano de Lobo, passou a compilar as informações disponíveis com o fim de elaborar a saga do Rodo. Eu mesmo era um destes, porque o HdR é composto em grande parte por piadas internas do pessoal do QC, o que levava a, segundo boa parte dos feedbacks, confusão por parte dos, hã, “não iniciados” (:v), isto é, os de fora. O que foi visto, contudo, ao olharmos para o passado, foi algo que nos deixou surpresos. Como assim, alguém pode perguntar.

        Primeiramente, nos tempos entre a Pinga Clássica e a Pinga Média, este desenho foi elaborado pela Juliana:

 

 photo JU_zpsvbkwwtjb.jpg        Aqui nós vemos vários cavaleiros da Pinga com a cabeça da estátua de Atena atrás dos mesmos, tendo a Grande Senhora, a amazona lendária de touro, à frente desta com o báculo de Atena na sua mão direita. Em minha estadia em Porto Alegre pude ter o original em mãos, e só então, em conferência, Eu e o Lucas observamos um detalhe que passou despercebido na época da elaboração do desenho: aquele que está diretamente sob o báculo, a saber, Roger de Triângulo. ROGER DE TRIÂNGULO SOB O BÁCULO DE ATENA, ENKIDU VOADOR, ACHAMOS O ESCOLHIDO!

*Arrem*

        Deve-se observar que este desenho foi elaborado ANOS antes da saga do Rodo ser concebida, ou mesmo o penteado definitivo do Roger, que, segundo este desenho, é pra cima. (Isso é confirmado por este desenho, onde vemos o Roger, atrás do Everton, no meio, no plano de fundo. Só soubemos que não era pra cima depois do aniversário de dois anos do QC, quando o Roger finalmente arrumou fotos pra termos uma base decente) Isto poderia mostrar, no mínimo, ó leitor, uma relação entre o báculo de Atena e o cavaleiro de Triângulo, porque, por “coincidência”, no decorrer da elaboração da Pinga Média o cavaleiro de Triângulo recebeu seus títulos de Dono da Verdade e Homem do Rodo. A esta altura, entretanto, alguém poderá dizer “certo, certo, há algo num desenho velho que de certa forma liga o Roger ao báculo de Atena quando ninguém tinha idéia das implicações que isso poderia causar, MAS ONDE CATOBLEPAS ENTRA O RODO NA HISTÓRIA?” É aqui que entra, ó leitor(a), a contribuição do cavaleiro de gêmeos, a qual só foi descoberta hoje, dia 29 de abril de 2015.

        Como foi dito anteriormente, o tópico do “Leião” causou tudo isso. Ele contém a gênese do Quartel Canvete, porque foi justamente a controvérsia que ele causou que resultou na fundação do mesmo, causando o êxodo do pessoal para a comunidade própria (quanta causação, Enkidu!). Como assim? Veja por você mesmo, ó leitor(a), e com atenção você descobrirá coisas. Você pode ler o “Leião” aqui, visto que foi reupado no site do QC, mas se você é daqueles desconfiados que acham que os copistas alteraram as coisas conforme a vontade destes ao longo dos anos, aqui está o original, diretamente das ruínas do Orkut. A leitura do artigo inteiro é proveitosa, por falar verdades duras contra a obra do grande mestre canônico, mas somente um trecho pequeno, a saber, é revelante para o assunto em questão. Este trecho é o seguinte: 

 

“Báculo x báculo! Porra eu falei zoando, vai ser briga de paulada mesmo? XIU! ô! ÔÔO!!! Compostura aí vocês duas!!! E isso porque são duas deusas hein... Mas brigam que nem duas empregadas de puxadinho do subúrbio se porrando com vassoura e rodo.“

 

        Leonardo está comentando acerca do confronto entre Artemis e Atena, no capítulo 16, onde elas literalmente saem na, hã, baculada. Perceba, pois, o fraseado utilizado, comparando as duas deusas a empregadas utilizando vassoura e rodo. Vassoura e rodo. VASSOURA E RODO, ENKIDU! Então vemos a referência ao rodo no artigo que deu origem ao Quartel Canvete, elevando então esta pequena referência ao nível de profecia! Leonardo teve um vislumbre do que o futuro nos aguardava! Ele viu, e asseverou, a associação de Atena ao rodo! Tudo isso em 2010, quando o HdR nem sonhava em ser escrito!

        Alguém, é claro, poderá objetar dizendo que o fato do rodo ser mencionado no “Leião” não implica dizer que ele necessariamente seja associado a Atena, visto que Artemis também tem um báculo, podendo portanto ser associado a ela enquanto a vassoura o seria a Atena. A isto pode ser lembrado então da pessoa de Roger de Triângulo, o qual está debaixo do báculo de Atena e que, durante as guerras secretas canvetes recebeu o título do Dono da Verdade E A POSSE DE UM RODO. Ele não foi atrás, isso é algo do qual todos somos testemunhas, isto é, os membros do QC que estiveram envolvidos. Veio até ele. Veio até ele, ó leitor(a).

        Então o que vemos disso tudo? O homem do Rodo, antes de receber este título, estava debaixo do báculo da deusa, o que poderia representar o favor da mesma sobre este. Anos antes disto foi abordada pelo cavaleiro de gêmeos, em sua análise epifânica e polêmica, a associação de Atena e o rodo, o que levaria mais tarde à suposição de que ele sabia do homem do Rodo, pelo fato dele não ter rebatido às ousadas declarações do cavaleiro de Triângulo no começo da reunião dourada, conforme foi vista nos últimos dias da Pinga Média. Quem leu sabe. Quem poderia prever que as referências estavam ali desde o princípio, e que ao olharmos para trás veríamos as coisas se encaixando? Quem poderia saber que as coisas fariam sentido o bastante para que este lobo de bronze deixasse sua inércia para escrever sobre as tais? Todavia, há uma pergunta que atravessa as Pingas sem resposta. E esse rodo?

        Seria ele mesmo o báculo de Atena, como os rumores dizem?

       

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!